Editorial Manifesto

O editorial *Manifesto* foi produzido na rua, em frente aos tapetes do Tico. Ocupando mais uma vez os locais públicos de nossa cidade, mas dessa vez com combinação perfeita das obras estendidas à venda. A ideia foi explorar a estética e textura incrível das peças de tapeçaria. Produzir algo experimental que já estava na minha cabeça há algum tempo. Decidi unir com esse momento de inauguração do site e subir um conteúdo recheado pra vocês. Contei com a colaboração da Mary que posou, fez alguns dos registros e o styling, do Zilhas que posou e salvou no apoio do carro, do Tis que posou e registrou algumas tb. Já eu acabei posando, dirigindo e editando as fotos depois. As peças da série *Manifesto Fresh Lab* você encontra na loja aqui do site.

Surgiu com a vontade de trazer um manifesto explícito para o projeto, utilizando todo o conteúdo gerado com essa série para concretizar uma era em meus trabalhos. Uma demarcação mais consistente dessa fase na qual venho passando. Nesse momento o Fresh Lab comporta-se principalmente como atelier de roupa, experimental e não convencional. Apesar de sempre testar expressões novas, o principal caráter de arte independente revolucionária esté presente de praxe, imprimindo as intenções de se comunicar com público e seres criativos muito além do produto final, sempre procurando se relacionar com os meios de produção, criando experiências expressivas imersivas e subversivas. De maneira colaborativa vamos nos manifestando, nesse primeiro momento através de roupa artesanal (roupas personalizadas). 

Além desse shooting, produzi outras fotos com meu mano Ache para agregar a nossa peça colaborada. Vou postar essa semana junto da segunda parte do editorial.

Todos os finais de semana Tico se encontra na zona norte de São Paulo vendendo essas obras de tapeçaria, porém ele também atende via whats, quem se interessar pode da um salve nele. (011 999624762)

Editorial Parte II

A segunda parte do Editorial foi gerada metade com o mano Ache num parque na zona leste em Guaianases. Esticamos uma das obras dele que você encontra em achism.com.br. Eu registrei e o Ache posou em seu alter ego identificado por uma balaclava de pano que ele mesmo costurou. 

Já a outra metade da sessão foi com a Mary, aqui perto de casa mesmo. Dessa vez esticamos uns metros de tnt pra fazer um fundo nômade experimental e gostamos a vera do resultado. O foco nessa parte foram as obras feitas em colaboração com Amortrash, as calças estampadas “Fazemos Nós Mesmxs”.

Definitivamente se tornou uma das minhas ferramentas favoritas pra improvisar ou até mesmo ir planejado de registrar em qualquer lugar que tenha um simples suporte para pendurar um fio de varal e prender o pano. (Duas árvores próximas ja formam um belo suporte desses).

Por falar em árvores, eu não separei o editorial em 2 sessões à toa, essa segunda parte conta com maior presença da natureza, mesmo nas fotos com a mary em fundo branco e fundo azul, vc pode notar a presença de um vaso nos registros com fish eye. (E uma das minhas fotos favoritas desse projeto foi justamente a que aconteceu o encaixe da Mary posando entre os troncos da árvore.) Ao contrário da primeira parte que era focada no visual das tapeçarias do seu Tico. 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *